Category

Planejamento

Category

Consulta com infectologista

Quando fomos ao Centro de Atenção ao Viajante tomar a vacina de febre amarela e emitir o CIVP, nos foi oferecido também o agendamento de um horário com um infectologista.

Fizemos o agendamento, mas confesso que não esperávamos muito dessa consulta. No dia agendado, o Rafael estava com um grande volume de trabalho e acabei indo sozinha.

Antes da consulta, a atendente me entregou uma ficha para ser preenchida com informações sobre a viagem (como países de destino, datas, motivo da viagem e locais de hospedagem) e sobre a minha saúde. Imaginem a reação dela quando disse que não cabiam ali todos os países que iria conhecer!

Fui atendida pelo Dr. Argus, que começou a consulta repassando a ficha e coletando algumas informações adicionais sobre a viagem.

Ao tratarmos de vacinas, ele me informou algumas que, apesar de não serem disponibilizadas pelo SUS, são interessantes tomar, em razão dos destinos da nossa viagem. Eu acabei esquecendo minha carteirinha de vacinação em casa, o que atrapalhou um pouco essa parte da consulta.

Como vamos em regiões em que a higienização dos alimentos costuma ser mais precária, ele prescreveu uma medicação para ser tomada em caso de diarreia combinada com algum dos seguintes sintomas: febre, cólica,  pus ou sangue nas fezes. Porém, sendo feito o uso dessa medicação e persistindo os sintomas, devemos procurar o atendimento médico.

Para uma alimentação mais segura, o Dr. Argus nos recomendou a evitar qualquer tipo de alimento cru ou mal cozido, como saladas, frutos do mar, e alimentos que levem ovos ou leite. As bebidas também merecem um cuidado especial, sendo recomendado o consumo de água mineral preferencialmente gaseificada, outras bebidas engarradas industrialmente, ou então quentes, como chá e café.

Ele nos instruiu a procurar atendimento médico, também:

– se apresentarmos sintomas de doenças respiratórias: pode se tratar de algo mais grave, como a gripe aviária. Em razão disso, também é recomendado evitar locais com muitas aves, como os mercados de aves vivas, que são comuns na ásia.

– caso ocorra mordida ou arranhão por aves ou mamíferos: ainda que não tenha sangramento, pode ser necessário tomar a anti-rábica ou fazer outro tratamento específico

– caso tenhamos febre, durante todo o período na Ásia e 90 dias após nossa saída de lá: por causa do risco de Malária, devemos informar ao médico o período que estivemos no continente asiático

Para prevenir doenças transmitidas por mosquitos ou carrapatos, além do uso de roupas adequadas, nos foi recomendado o uso de repelente à base de Icaradina (25%) ou DEET (50%), sendo que esse último não é encontrado no Brasil com esta concentração. O repelente deve ser aplicado 15 minutos após a aplicação do protetor solar, para que não haja interferência entre os componentes.

Saí da consulta extremamente satisfeita! Num primeiro momento, pode parecer muita informação e muitos cuidados para serem tomados, mas acredito que seja a melhor forma para ter sucesso em uma viagem longa.

Como todas as informações passadas tiveram por base o nosso roteiro, nosso histórico médico e outras particularidades, trouxemos para vocês apenas como curiosidade. Porém recomendamos a todos os viajantes que façam esse agendamento, para tirar todas as dúvidas e receberem instruções específicas.

Centro de atenção ao viajante

Endereço: Rua Paraíba, 890 – Funcionários

Telefones: (31) 3246-5026 (31) 3277-5300