Category

Reflexão

Category

Seis meses em Portugal

Hoje completamos seis meses em Portugal. Como o tempo voa! Não parece que estamos aqui já há tanto tempo, nem que nossa volta ao mundo acabou há um ano e meio.

E talvez porque o fim de ano se aproxima, ou por causa desse marco de seis meses em Portugal, mas nos últimos dias fiquei refletindo bastante.

Quem me conheceu depois do início da lua de mel deve pode ter criado a imagem de que eu sempre fui uma pessoa aventureira, viajada e desapegada. Para essas pessoas, meu acendente em aquário faz total sentido. Mas quem me conhece há mais tempo sabe que minha vida até pouco tempo era 100% canceriana. Hahaha!

Super apegada com minha família, meus amigos, meu lar, minhas coisinhas. Nunca esteve nos meus planos mudar do Brasil – nem sequer pensava em sair de BH. Aliás, fazer uma volta ao mundo de mochilão por 10 meses era algo que eu nem cogitava por vários motivos.

Financeiramente eu pensava que era impossível. Afinal, não ganhava tanto e tinha as contas de casa para pagar. Mas também não me imaginava como fazer para viajar tanto tempo com tão poucas coisas. Muito menos achava que conseguiria ficar tanto tempo longe da minha família.

Isso tudo foram coisas que o Rafa me ajudou a trabalhar e sou extremamente grata e ele por isso. Não consigo imaginar uma melhor lua de mel e não consigo, hoje, me imaginar sem ter vivido isso.

Na muralha de Óbidos - Seis meses em Portugal
Na muralha de Óbidos

A volta ao mundo foi mais do que conhecer lugares incríveis, experimentar comidas deliciosas e ter contato com culturas e pessoas tão diferentes. Foi também um momento de me descobrir, de superar limites; um momento de grandes mudanças internas.

A Thaís que saiu do Brasil em agosto de 2016 não foi a mesma que voltou em junho de 2017; e aquela Thaís provavelmente não teria conseguido mudar para outro país. Ainda que tivesse conseguido mudar, não teria conseguido lidar com todas as incertezas. Brinco que a velha Thaís, sistemática que só ela, já teria tido um piripaque.

E agora, depois de seis meses em Portugal, vejo que mudar de país tem muito a ver com fazer uma viagem de volta ao mundo. No fundo, é sobre sair de sua zona de conforto e se abrir para o novo. É saber a importância de se preparar, de pesquisar… de toda a fase de planejamento. Mas, também, saber que não importa o tanto que se preparou: na prática muita coisa acontece diferente. Então, é preciso paciência para se ajustar.

Mudar de país exige jogo de cintura. Precisamos aprender um novo jeito de falar, as expressões e o que está implícito em cada palavra, ainda que a língua seja a mesma. Precisamos aprender a nova cultura e os costumes do lugar.

Na Catedral de Évora - Seis meses em Portugal
Na Catedral de Évora

Esses seis meses em Portugal me mostraram que mudar para outro país é estar sempre comparando. A gente compara preços, qualidade, marcas, lugares… É instintivo, acho. E temos que aceitar que muita coisa simplesmente não vai fazer sentido, porque estamos acostumados com algo bem diferente. E que outras coisas serão tipo “como vivi minha vida inteira sem isso?”.

Mudar é ter o coração em pedacinhos ao perder momentos especiais por estar longe. É acordar no meio da noite e se convencer de que foi feita a escolha certa. E é também ver que, felizmente, a distância não separa realmente quando há muito amor envolvido.

Na praia de Alburrica

Temos muito para compartilhar com vocês sobre nossa vida aqui, as alegrias e as dificuldades. Sinto que estou sempre em dívida, correndo atrás do tempo perdido. Mas a verdade é que, mesmo depois de seis meses, ainda estamos nos ajustando.

E, apesar de já ter melhorado bastante nos últimos anos, uma de minhas resoluções para 2019 é ser mais zen. Curtir mais o que Portugal tem a nos oferecer e me preocupar menos. Quem sabe começar a meditar ou fazer yoga? Veremos…

Mas aos pouquinhos vou atualizando aqui e as redes sociais. Já temos um tanto de dicas legais sobre outros cantinhos de Portugal pra compartilhar com vocês!

Se você mora ou já morou fora do Brasil, me conta sua experiência 🙂 E fique por dentro dos nossos roteiros e dicas sobre o que fazer em Portugal!

Ah, e se gostou do post, não esquece de curtir e compartilhar pelos botões aqui de baixo: