Agora que já contamos como chegar em Ayutthaya e como se locomover por lá, vamos ao que mais interessa: nosso roteiro!

Como fomos passar somente algumas horas na cidade e não queríamos fazer aquele tipo de passeio que você passa rapidinho por vários lugares mas não conhece direito nada, escolhemos 5 templos para conhecer.

A van nos deixou bem perto dos templos mais centrais, mas como íamos fazer o trajeto a pé, pegamos um tuk tuk apenas até o templo mais longe e fomos voltando a pé.

Em vários dos templos de Ayutthaya são cobradas entradas (cerca de 50 bahts, equivalente a 5 reais), mas quando visitamos todos estavam com visitação gratuita. Uma outra coisa importante é que faz muito calor na cidade e nem todos os templos são arborizados, então vale a pena levar chapéu, protetor solar e água.

Wat Lokkayasutharam

Da área central ate o templo pagamos xxx por uma corrida de mais ou menos 15 minutos de tuk tuk. Chegando lá, fomos direto ao monumento mais famosos, o Phra Bhuddhasaiyart, que é o maior Buda reclinado de Ayutthaya.

Talvez esse Buda lhe pareça familiar e você não saiba de onde, então vamos desvendar o mistério: ele serviu de inspiração para o cenário do Street Fighter e, por isso, algumas pessoas até tiram fotos em frente a estatua imitando golpes do jogo. Considerando todas as regras que existem sobre respeito a Buda, fiquei me perguntando se isso não seria um problema, mas não havia ninguém ali para nos orientar.

O que nos decepcionou um pouco é que muitas vezes esse Buda está coberto com um tecido amarelo que parece super bonito pelo que vimos em fotos. Porém, nesse dia,o pano estava caído atrás da estátua.

O resto desse templo não é muito interessante, então não perdemos muito tempo por ali e seguimos para o próximo.

Wat Phra Si Sanphet

Depois de mais ou menos 20 minutos caminhando e conversando, chegamos ao segundo templo. A imagem do Buda deitado é bem interessante, mas na nossa opinião o Wat Phra Si Sanphet é bem mais impressionante.

LEIA TAMBÉM:   Taling Chan

O templo é composto de três grandes estupas, ou chedis, que são esses monumentos construído sobre os restos mortais de uma pessoa importante para a religião budista. No caso desses templos, as cinzas são de três reis.

Wat Phra Ram

Pertinho do Wat Phra Si Sanphet está o terceiro templo que visitamos, o Wat Phra Ram.

Além dos lindos monumentos, as árvores, pássaros e lagos deixam o ambiente ainda mais agradável. Ficamos um bom tempo ali, tirando fotos e curtindo o lugar. Fomos embora quando a já não conseguíamos mais enganar a fome.

Pausa para almoço

Foi ali, pertinho desses templos, que comemos o Pad Thai mais gostoso até agora! Numa dessas barraquinhas de rua que você pensa duas vezes se arrisca comer, tivemos um atendimento de primeira: o cara falava inglês super bem; o Pad Thai veio servido em folha de bananeira e tinha como acompanhamento uma fatia de carambola, manga verde ralada e umas folhas; e ainda rolou uma apresentação do prato, explicando o que era cada coisa.

Ah, pra quem ainda não sabe, Pad Thai é um dos pratos mais conhecidos na Tailândia. Normalmente custa entre 40 e 90 bahts, equivalente a 4 e 9 reais (não aceitamos pagar mais que isso! hahaha).

Viharn Phra Mongkhol Bophit

Esse templo estava em obras no dia que fomos para Ayutthaya. Parece bem bonito e diferente dos outros, pelo que vimos nas fotos, mas tivemos que deixar para uma próxima oportunidade.

Wat Mahathat

O último templo que visitamos é o que tem a imagem mais famosa da cidade: a cabeça do Buda nas árvores.

O que percebemos é que muita gente para ali rapidinho só para tirar uma foto e segue para o próximo templo, sem reparar na beleza do lugar. Quando chegamos em Wat Mahathat, acho que estava em uma espécie de “limbo” entre excursões, e estávamos tão encantados com o entorno que quase passamos direto pela cabeça. Mas rapidamente o lugar encheu de pessoas e foi preciso fazer uma fila para que todos garantissem a famigerada foto.

Ah, como sinal de respeito, você não pode ficar acima da cabeça do Buda, então precisa agachar ou sentar no chão.

LEIA TAMBÉM:   Desbravando Tikal

Depois de tirarmos a nossa foto, porque não somos imunes a essas coisas (hahaha), passamos mais de uma hora rodando pelo resto do templo e amando tudo por ali.

Quando o sol começou a se por, saímos correndo porque não sabíamos o horário da última van para voltarmos a Bangkok.

Write A Comment