Ao pesquisarmos sobre a Cidade da Guatemala, lemos em alguns lugares sobre a Zona 1 ser uma área perigosa e que poderia ser evitada. Mas como conhecer realmente uma cidade sem ir ao centro? Passear pelas áreas mais exclusivas pode ser interessante (tanto que, em Bogotá, fomos algumas vezes à Zona Rosa como contamos neste post), mas é no centro que as coisas realmente acontecem, que se tem acesso ao lado mais real da vida e cultura da cidade.

Então, resolvemos ir para a Zona 1 e, honestamente, não entendemos de onde vieram as recomendações contrárias à região. Nos sentimos mais seguros lá que no centro de BH, onde moramos. Caminhamos todo o tempo com a máquina fotográfica e celular nas mãos e não teve nenhum momento em que nos pareceu perigoso.

Nosso primeiro destino foi o Edificio De Correos Y Telégrafos De Guatemala, que tem uma arquitetura super bonita e funciona também como museu.

guate-city-3

Caminhando mais algumas quadras, chegamos ao Parque Centenário, que é cercado pelo Palácio Nacional de la Cultura e pela Catedral Metropolitana. A praça é bem grande e estava bem movimentado quando visitamos, apesar de ser dia de semana; muitos locais pareciam sentar ali para ver o movimento, descansar e conversar sobre a vida.

menino

Palácio Nacional de la Cultura é um dos símbolos arquitetônicos da cidade. Conhecido como “Palácio Verde”, o prédio já foi sede do Governo Guatemalteco e hoje é um espaço dedicado a diversas atividades artísticas e exposições.

guate-city-5

A Catedral Metropolitana, que teve sua construção iniciada em 1782, sobreviveu a diversos terremotos, mas chama mais atenção por seu tamanho e por sua estrutura, do que pela decoração, que é bem simples.

Catredral Cidade da Guatemala

Da Catedral, seguimos para o Mercado Central, nosso último destino e também onde passamos mais tempo. O andar superior, por onde entramos, é cheio de lojinhas de artesanato. Não podíamos comprar nada além de uma bandeirinha da Guatemala (souvenier que escolhemos para ter de cada país visitado), mas era tudo tão bonito e tão colorido, que nos deixamos perder pelos corredores.

LEIA TAMBÉM:   Desbravando Tikal

Mercado Central Cidade da Guatemala

Quando a fome bateu, descemos para o andar inferior, onde existem barraquinhas de tudo quanto é tipo de frutas, verduras, cereais e temperos, além de vários ‘restaurantes’ com as comidas típicas. Lá experimentamos as famosas dobladas, que são tortilhas de milho fritas, recheadas de carne, frango ou legumes e que são acompanhadas de molho de tomate, guacamole, repolho, queijo, cebola e limão.

Doblados Cidade da Guatemala

Já esteve na Cidade da Guatemala? Conte pra gente como foi!

Write A Comment