Sabemos que a maior dúvida de quem deseja fazer uma viagem longa é quanto custa uma volta ao mundo. Então, nos comprometemos, desde o início, a ser bem transparente com os nossos gastos.

Ao final do nosso primeiro mês, fizemos o post Quanto custa uma volta ao mundo (#1), explicando sobre nosso orçamento diário, como fazemos o controle dos custos e o que significa cada categoria, então se você ainda não leu, vale a pena dar uma olhadinha lá antes.

Quanto custa uma volta ao mundo (segundo mês)

É impressionante como o segundo mês de viagem foi diferente do primeiro! Conhecemos muito mais lugares, mudamos de planos várias vezes e tivemos gastos inesperados. Também achamos mais difícil deixar de fazer alguns passeios, o que aumentou nossos gastos e nos fez fechar o mês em débito. Então, nosso desafio para o terceiro mês é tentar economizar ao máximo sem nos privarmos de muita coisa.

Quanto custa uma volta ao mundo

Começamos o segundo mês ainda na Costa Rica, nos despedindo de Puerto Viejo. Antes de chegarmos na Nicarágua, passamos rapidamente pela Libéria, onde não tivemos muitos custos.

Nicaragua

A Nicarágua é conhecida por ser um país barato. No entanto, seus maiores atrativos não estão nas cidades e os tours podem acabar pesando no orçamento. Em Ometepe, alugamos uma scooter para conhecer a ilha e também fizemos um trekking no Vulcão Concepción (veja esse post aqui). Em Granada, resistimos à vontade de fazer um trekking noturno no vulcão e ver a lava, mas não podíamos ir embora de León sem experimentar o Volcano Boarding, que foi uma das aventuras mais legais até agora (leia aqui o post sobre a nossa experiência).

Quanto custa uma volta ao mundo

El Salvador

Em El Salvador, tiramos alguns dias para descansar em uma casinha, que alugamos no Airbnb. Acabamos conhecendo apenas San Salvador e ficamos dentro do orçamento. Com isso, antecipamos nossa ida para a Guatemala.

Quanto custa uma volta ao mundo

Guatemala

Não nos arrependemos em antecipar nossa ida para a Guatemala, que se tornou nosso queridinho da América Central! Foi, também, o país onde mais gastamos. Não que o país em si seja caro – pelo contrário, fora a capital, as coisas são bem baratas. Porém, como ficamos pouco tempo em cada lugar, ficou mais difícil cozinhar e acabamos fazendo muitas refeições fora. Além disso, não conseguimos dizer não para alguns passeios incríveis que ainda vamos contar aqui e tivemos alguns gastos necessários (e caros) na categoria “outros”: compramos uma bateria extra para a máquina fotográfica e um HD externo.

LEIA TAMBÉM:   Como montamos nosso roteiro

Quanto custa uma volta ao mundo

México

Chegamos no México às vésperas de completarmos o segundo mês de viagem, depois de enfrentarmos 18 horas de viagem. Além de experimentarmos a verdadeira comida mexicana – que é bem diferente da que estávamos acostumados no Brasil – tivemos mais um gasto extra: compramos um tripé.

mexico

Fechamos esse segundo mês de viagem um pouco tristes de termos saído significativamente do nosso orçamento inicial. Porém sabíamos que nossa meta de 50 Dólares por dia para o casal era bem ousada e, alguns momentos, não seria possível. De qualquer forma, conhecemos tantos lugares lindos que não estamos arrependidos!

Vamos tentar aproveitar que o México é um país barato para recuperar parte dessa “dívida”.

Ficou com alguma dúvida sobre os nossos gastos? Comente ai embaixo!

Write A Comment