Nem acredito que estou escrevendo o sexto post de quanto custa uma volta ao mundo! Parece surreal pensar que um ano e meio atrás tomamos uma decisão que iria mudar completamente a nossa vida, que seis meses atrás saímos do Brasil para uma jornada desafiadora e maravilhosa.

Não dá para falar de seis meses de viagem pelo mundo e dizer que foi tudo sempre incrível. Tivemos noites em claro porque outros hóspedes do quarto compartilhado roncavam muito alto, perrengues com shuttle e nascer do sol frustrado pela neblina… Um celular foi parar no fundo do mar, nos roubaram 200 euros e o notebook quebrou… Também tivemos desentendimentos e ainda estamos aprendendo a arte de ficar 24 horas por dia juntos e depender do outro para tomar todas as decisões.

Mas não faltaram lugares que nos fizeram perder o fôlego e jurar que estávamos sonhando. Experiências que serviram de grande aprendizado, momentos que nos fizeram sair totalmente da nossa zona de conforto, pessoas bacanas que cruzaram nosso caminho. Viver tudo isso juntos, na nossa longa – e nada tradicional – lua de mel, não tem preço!

Bom, na verdade, tem preço sim:

Alimentação

O quinto mês de viagem acabou bem nos nossos primeiros dias no Vietnã, quando nossa opinião pela comida local não era nada boa. Mas depois descobrimos que o tempero, apesar de bem diferente da Tailândia, era bem gostoso dependendo do restaurante.

Passamos um mês no país e nossa alimentação não foi muito diferente do que falamos no post anterior. Mas  experimentamos alguns pratos típicos como o Phó e comemos bastante Bánh mì matando a saudade do pão francês.

Chegamos no Camboja para descobrir que ali também os pratos eram bem parecidos! Comemos muito fried noodles, fried rice e sweet and sour chicken.

No total, gastamos 415,31 dólares com alimentação, uma média diária para o casal de 13,84 dólares.

Transporte

Nosso gasto médio diário com passagem reduziu mais um pouco e fechou o quinto mês como 17,84 dólares. Porém, com a volta da Índia para o roteiro, sabemos que esse valor vai aumentar novamente.

LEIA TAMBÉM:   Permissão internacional para dirigir

Com o transporte dentro das cidades, como taxi e aluguel de scooter e bicicleta, gastamos no sexto mês apenas 47,40 dólares. Alugamos scooter em três cidades do Vietnã: Ninh Binh, Nha Trang, Da Lat e Mui Ne. Em todas elas, pagamos entre 4 e 5 dólares pelo aluguel, mais o valor da gasolina. Apenas em Hoi An aderimos ao projeto fitness e alugamos uma bicicleta, que custou 2 dólares cada.

Hospedagem

Achamos opções com ótimo custo x benefício em quase todo o Vietnã. Na maioria das cidades, pagamos entre 10 e 11 dólares a diária em quartos privativos. Além disso, passamos duas noites no Open Bus, economizando diárias de hospedagem.

Já no Camboja, os valores são um pouco mais altos. Ainda bem que conseguimos parecerias com dois ótimos hotéis e conseguimos fechar o mês com 329,79 dólares (uma média de 11 dólares por noite)

Turismo e lazer

No sexto mês, nossos gastos com turismo e lazer foram menos da metade do quinto mês: apenas 145,68 dólares.

Achamos ótimo, já que fizemos todos os passeios que realmente queríamos: rapel em Da Lat, Museu da Guerra dos Estados Unidos, tour para os Cu Chi Tunels, além de visitarmos vários templos e cachoeiras. 

Total

Somando tudo isso com outros gastos que tivemos (produtos de higiene, lavanderia, visto do Camboja, chip de celular…) chegamos ao total no mês de 1.600,24 dólares, uma média de 53,34 dólares por dia.

QUASE CONSEGUIMOS ficar dentro da meta de 50 dólares por dia!! Mas considerando que reduzimos os gastos em 15 dólares por dia, comparando com o quinto mês, foi excelente! 

Ficou com alguma dúvida sobre nosso planejamento ou nossos gastos? Está planejando uma volta ao mundo e quer nossa ajuda? Comente aqui!

Write A Comment