Sempre que  contamos para alguém que estamos viajando há sete meses, conseguimos ver imediatamente uma mesma pergunta se formando na mente da pessoa. Muitos nos perguntam, outros vemos que ficam sem graça em tocar nesse assunto que pode parecer pessoal de mais… e se você está lendo esse post é porque também quer saber:

Quanto custa uma volta ao mundo?

Sempre contamos aqui todos os nossos gastos mensais, e se você ainda não leu, vamos deixar bem fácil:

O sétimo mês da nossa lua de mel teve um pouquinho de quase tudo da Ásia: nossos últimos dias passeando pelo Camboja, dois dias de volta à Tailândia e grande parte da nossa temporada na Índia. Só faltou o Vietnã…

Alimentação

Apesar da culinária dos países do sudeste asiático ter vários pratos em comum, adoramos voltar para Bangkok e matar a saudade do Pad Thai.

Quando chegamos na Índia, porém, tivemos um choque inicial. Tudo muito diferente, não entendíamos nada dos cardápios e começamos a questionar se conseguiríamos ficar um mês sem comer nenhum tipo de carne.

Leia todos os nossos posts sobre a Índia clicando aqui

Confesso que acabamos comendo muita pizza nos três primeiros dias! Depois começamos a nos aventurar e apaixonamos pela culinária indiana. Carne pra que, quando se tem pratos tão saborosos com espinafre, queijo, batata e couve flor? E ainda acompanhados de chapati, naan ou roti, uns pães que podem ser simples ou com alho, queijo e manteiga.

Além de deliciosa, a comida vegetariana na Índia costuma ter um ótimo preço! Na maioria dos restaurantes pagamos entre 3 e 5 dólares a refeição para nós dois.

Escolher nossa comida na Índia ficou ainda mais fácil quando recebemos da Mari e do Edu, do projeto A toalha, uma “cola” com a tradução de vários ingredientes da culinária indiana, que eles viram num cardápio. Selecionamos alguns para facilitar pra vocês:

Alguns de nossos pratos preferidos são palak paneer, aloo gobi e malai kofta, além do veggi burguer.

Ah, e uma dica é pedir sempre “no spice”, porque a comida indiana consegue ganhar da mexicana e da tailandesa no quesito picância. Em muitos lugares, quando você pede “no spice” a comida ainda vem um bocado apimentada, mas é porque o tempero deles é assim mesmo. Pra gente é como se um estrangeiro chegasse num restaurante brasileiro e pedisse a comida sem sal ou sem alho.

Nosso gasto total com alimentação no sétimo mês foi 353,36 dólares, 11,40 dólares por dia para o casal.

Transporte

Como a gente já imaginava, a reinclusão da Índia no roteiro foi responsável por um novo aumento dos nossos gastos com passagens. Aproveitamos esse mês para também rever e atualizar o preço de algumas outras passagens futuras. Com isso, nosso gasto médio diário subiu de 17,84 para 20,78 dólares.

Já com transporte dentro das cidades, como Uber, metrô e tuc tuc, gastamos no último mês 108,74 dólares.

Hospedagem

A Índia é famosa por oferecer hospedagens de luxo a preços muito mais acessíveis do que se encontra em outros lugares do mundo. Então, muita gente – principalmente casais em lua de mel – aproveitam para ter uma ter uma experiência glamourosa e se hospedar em resorts e hotéis 5 estrelas.

Pro nosso orçamento, porém, eles continuam caro. Buscamos hostels e guest houses e conseguimos fazer umas parcerias bem legais, reduzindo nosso gasto com hospedagem para 249,50 dólares, uma média de 8,04 dólares por dia para o casal.

JUGAAD HOSTEL DELHI

Turismo e lazer

Esse mês fizemos alguns dos passeios mais lindos da viagem. Mas antes, na capital do Camboja, visitamos o Museu S21 e o campo de extermínio Choeung Ek, onde conhecemos com detalhes o horror do genocídio promovido pelo Khmer Rouge no final da década de 70. São dois passeios incríveis, no sentido de ser realmente difícil acreditar que o ser humano é capaz de atos tão extremos e covardes. Os ingressos custaram 10,50 dólares por pessoa.

Já em Siem Reap, mais ao norte do país, visitamos Angkor Wat. Esse complexo maravilhoso de templos e ruínas ficou ainda mais famoso ao servir de cenário no filme Tomb Rider. Porém, em fevereiro deste ano, o ingresso para estrangeiro quase dobrou de valor, então pagamos cada um 37 dólares.

Leia todos os nossos posts sobre o Camboja clicando aqui

LEIA TAMBÉM:   Como montamos nosso roteiro

Já na Índia, visitamos fortes e palácios maravilhosos, mas nada comparado com a beleza e a grandiosidade do Taj Mahal! Valeu a pena ter acordado antes do sol nascer e pagar quase 15 dólares cada um. Foi um amanhecer lindo e passamos várias horas observando e fotografando esse lugar que vamos sempre guardar na nossa memória.

Nossos gastos, com turismo e lazer no sétimo mês, somaram 250,17 dólares

Total

Considerando ainda alguns outros gastos que tivemos (com produtos de higiene, lavanderia, visto da Índia, chip de celular…) chegamos ao total no mês de 1.722,14 dólares, uma média de 55,55 dólares por dia.

Como uma parte significativa do mês estivemos na Índia, nossa expectativa era ter gasto menos que isso, tentando ficar dentro do nosso orçamento de 50 dólares por dia para o casal. Mas com o aumento do valor médio das passagens e considerando o tanto de lugar interessante que conhecemos esse mês, estamos felizes com o resultado.

Ficou com alguma dúvida sobre nosso planejamento ou nossos gastos? Está planejando uma volta ao mundo e quer nossa ajuda? Deixe um comentário pra gente!

Write A Comment