A gente adora mercados e também curte muito fazer passeios por conta própria, então não tivemos dúvidas quando a Carol e o Vitor, do Mundo por eles, nos chamaram pra conhecer o Taling Chan.

Muito mais genuíno que os grandes mercados e dispensando tour (procuramos por curiosidade e não encontramos nenhuma agência que fazia esse passeio), o Taling Chan oferece tudo o que há de mais legal em um mercado tailandês: frutas, flores, comidas, bebidas, souvenir e é claro, massagem! Como ele acontece apenas aos finais de semana, vale a pena se programar direitinho para conseguir visita-lo.

Ele funciona das 8:00 às 17:00, nos sábados e domingos, mas quando saímos de lá pouco depois das 15:00 muitas barraquinhas já não estavam mais tão legais e a maioria dos visitantes tailandeses já tinham ido embora.

Como chegar

O mercado fica bem pertinho de Bangkok, então é possível chegar lá de várias formas e escolher o melhor meio vai depender de onde você está hospedado e quanto quer gastar no deslocamento.

Para quem quer comodidade e tem um orçamento mais tranquilo, a melhor forma pode ser um táxi ou tuktuk. Se essa for sua opção, não se esqueça de combinar bem o preço antes e cuidado com golpes do tipo “hoje esse mercado não está aberto, mas posso te levar em outro”.

Outra possibilidade é ir de BTS até a última estação “Wongwian Yai” e dali pegar um taxi (por aproximadamente 150 bahts, equivalente a 15 reais).

Nós estávamos hospedados perto da Khaosan Road e escolhemos ir de ônibus. Pegamos a linha 79 a poucas quadras do hostel (13 bahts por pessoa, equivalente a 1,30 reais) e paramos praticamente na porta do mercado, super prático e barato!

Para voltar, é só pegar o mesmo ônibus do outro lado da rua, em frente à 7 Eleven.

O mercado

Pela entrada, parece um mercado comum, algumas várias tendas de flores e artigos de jardinagem, frutas e verduras, lanches, sucos e doces. Depois de cruzar essas barraquinhas é que se chega na parte realmente flutuante do mercado, mas não espere aquela enorme quantidade de barcos que vemos nas fotos do Damnoen Saduak: tudo em Taling Chan é menor e mais simples.

LEIA TAMBÉM:   Koh Rok, um paraíso escondido

A fileira de barraquinhas termina em uma espécie de deck onde você já consegue ver os barquinhos onde as pessoas cozinham. Uma ponte de madeira te leva à parte central, onde você pode comer as delícias preparadas ali em mesas compartilhadas.

Você pode ainda alugar ali um dos famosos barcos longtail para passear pelos canais ou fazer uma massagem tailandesa por um ótimo preço.

Quando visitamos, estava tendo uma apresentação de musica tailandesa no deck e nos deixamos curtir aquele momento vendo as  crianças alimentarem os peixes do rio, comidas sendo preparadas no barco e famílias locais aproveitando o fim de semana juntos.

 O que comer

Não vale a pena visitar Taling Chan de barriga cheia. O que mais tem por ali são opções de comida e não vai ter muita graça se você não experimentar nada.

Chegamos no mercado morrendo de calor – e provavelmente você sentirá a mesma coisa! Então comece bebendo um smoothie nas barraquinhas do início da feira, para se refrescar. Se quiser experimentar uma coisa totalmente diferente, existe uma barraquinha que vende um docinho com nitrogênio. Para os mais tradicionais, variações de pad thai e espetinhos também rolam por ali.

Mercado Taling Chan Bangkok

Mas a melhor recomendação mesmo é chegar com fome à parte flutuante, onde são feitos peixes, camarões e frutos do mar com preço excelente! Nós comemos um peixe com salada, tomamos água de coco e refrigerante e pagamos o equivalente a 23 reais pro casal.

O preço dos “restaurantes” ali quase não variam de um para o outro e todos tem cardápio ilustrado que facilitam fazer o pedido.

Visitamos o Taling Chan no nosso último dia em Bangkok e podemos dizer que fechamos com chave de ouro!

Write A Comment