Depois de 10 dias viajando pela Índia e tendo conhecido 3 cidades agitadas, chegamos em Pushkar e… cadê o caos?

Pushkar é a outra Índia. Aquele do lado zen, hippie, paz e amor. Não que a cidade não tenha muita gente, cores e uma quantidade impressionante de vacas para tudo quanto é lado. Mas é bem mais calma que todas as outras cidades que já visitamos.

Como chegar em Pushkar

Nós chegamos em Pushkar de ônibus, depois de cinco horas de viagem partindo de Jodhpur. Diferente do ônibus razoavelmente confortável que pegamos de Udaipur para Jodhpur, dessa vez viajamos num desses bem antigos, com as malas dentro, pessoas em pé, muita gente entrando e saindo no meio do caminho. A cadeira não reclinava nada e, no fim, já estava com a bunda quadrada, louca para chegar em Pushkar.

Em compensação, a passagem foi muito barata. Compramos diretamente na estação de ônibus de Jodhpur na véspera da viagem, e as duas passagens custaram juntas 330 rúpias (17 reais). A passagem para mulheres estava com um grande desconto, sei lá por qual motivo.

Já leu nosso post sobre Jodhpur? Clique aqui para saber sobre a cidade dos lagos.

Dependendo da sua cidade de origem, você poderá chegar em Pushkar de trem. Já o aeroporto mais perto fica em Jaipur, cerca de 4:30 de ônibus de Pushkar.

Dentro da cidade, o transporte é feito basicamente por tuc tuc. Vale a pena sempre conferir com o hotel quanto você deve pagar pelo trecho, até mesmo para o tuc tuc da estação até o hotel. Quando chegamos, o motorista queria nos cobrar 200 rúpias, mas falamos que o hotel nos disse para não pagar mais de 100. Batemos o pé até que ele aceitou.

Onde ficar em Pushkar

Apesar de ser uma cidade pequena, Pushkar tem uma boa variedade de hotéis e hostels, sendo possível escolher o estilo que mais lhe agrada e que cabe no seu orçamento.

Nós ficamos hospedados num hostel um pouco mais afastado, cerca de 15 minutos de caminhada até o lago. E a sensação era de estarmos no meio do nada! Diferente das nossas outras hospedagens na Índia, o Pappi Chulo não fica em um prédio.

Imagine um grande jardim, com algumas cabanas privativas, pufes, redes, uma quadra de areia e uma fogueira. No final do jardim, um bar e alguns quartos coletivos. Esse é o Pappi Chulo. Se você esta procurando um hotel mais bacana, com luxo e silêncio, esse não é o seu lugar. No Pappi Chulo você vai encontrar um pessoal mais jovem, com um estilo ao mesmo tempo zen e party. O staff é formado, em sua maioria, por outros viajantes, super atenciosos e dedicados.

Ah, se você ficar hospedado no Pappi Chulo, muita atenção: não deixe de comer o Veg Burguer!

Quanto dias ficar em Pushkar

Um dias inteiro é suficiente para conhecer as principais atrações da cidade, mas para entender melhor o lado espiritual, fazer aulas de yoga ou até um retiro, é preciso mais tempo na cidade.

O que fazer em Pushkar

Assistir ao por do sol no Sunset Cafe

Chegamos em Pushkar já no meio da tarde, depois de uma viagem cansativa desde Jodhpur. Chegamos no hostel, almoçamos um veggy burguer delicioso e saímos para conhecer um pouco a cidade. Nosso objetivo era chegar ao Sunset Café, onde nos recomendaram assistir ao por do sol.

LEIA TAMBÉM:   Como montar um roteiro pelo Vietnã

Em frente ao Sunset Café existe uma escadaria, como em vários outros pontos do lago, mas para ver o sol se por a vista ali é realmente a mais incrível. Por conta disso, o lugar fica cheio de gente! Mas não é aquele tipo de movimento que atrapalha a experiência, mas sim que a deixa ainda mais rica. São locais e turistas, pessoas de todas as idades, alguns só curtindo o por do sol, outros tocando música ao vivo, dançando, fazendo malabarismo. É uma verdadeira festa para o sol e ele retribui pintando o céu de um dourado incrível!

Amamos ver o por do sol ali e a energia que recebemos com o lago sagrado, as pessoas e a música. Ah, e como o lago é considerado sagrado, você deve ficar descalço desde a escadaria. Isso vale para todo o “calçadão” em torno do lago.

Assistir ao nascer do sol no templo Savitri Mata

Assistir o sol nascer, assim como vê-lo se por, pra mim é sempre uma experiência bacana. As vezes o céu fica fantástico e rende lindas fotos. Mas mesmo quando a paisagem não é nada demais, são momentos bons para refletir e agradecer.

Quando li sobre o nascer do sol em Savitri Mata, algumas pessoas diziam ser incrível, imperdível. Então, apesar de estarmos super cansados, acordamos às 5 horas da manhã, pegamos um tuc tuc e subimos as escadarias para ver o nascer do sol.É realmente bonito ver o sol nascer atrás das montanhas e a cidade “surgindo” na escuridão, mas com certeza não foi o nascer do sol mais bonito que já vimos. Recomendamos só se você estiver descansado, curtir muito ver o nascer do sol ou quiser começar o dia bem cedo.

Vale a pena chegar por volta das 5:30 da manhã, para subir as escadarias ainda no escuro (não se esqueça de levar uma lanterna). Você pode levar um lanchinho para tomar café da manhã ali, enquanto assiste ao nascer do sol. É interessante também já combinar com o motorista do tuc tuc um horário para te buscar, e 7:30 já é suficiente.

 Observar o dia a dia dos locais no lago Pushkar

Depois de sairmos do Savitri Mata, pedimos ao motorista para nos deixar no templo Brahmaji, pelas indicações que vimos pela internet. Honestamente, ficamos super desapontados. O templo é bem sem graça e estava lotado!  Parece um templo muito sagrado para os locais, mas para turistas que não conhecem bem a cultura e religião, não acho que vale a pena.

Melhor pedir apenas para o motorista te deixar em um lugar perto do lago Pushkar. Chegando no lago, tire os sapatos antes de descer as escadas e observe o relacionamento tão interessante dos locais com o lago. Em meio a pombos e vacas, os indianos caminham ao redor do lago e se banham nas águas sagradas.

Leve seus sapatos com você, para que possa subir para o centro da cidade quando estiver satisfeito ou a fome bater.

Caminhar pelo centrinho

Caminhar pelo centrinho de manhã é uma experiência bem diferente da tarde. Os indianos costumam abrir as lojas bem tarde, mesmo as lojinhas de souvenir, então durante a manhã o centro de Pushkar está bem mais calmo e você conseguirá observar melhor as construções. Se quiser fazer compras, melhor voltar um outro horário.

Visitar o templo Gurudwara

Esse sim é um templo que vale a pena conhecer em Pushkar. Apesar de seu interior ser bem simples, o templo é lindo por fora! Para entrar, é preciso tirar os sapatos antes de subir as escadas e cobrir a cabeça com um dos lenços que eles disponibilizam na entrada (isso vale tanto para homens como mulheres).

LEIA TAMBÉM:   Dicas de Chiang Mai

Percebemos que os indianos lavam o rosto e as mãos numa pia que tem ao lado do portão, antes de subir para o templo.

Cuidado com o golpe!

Quando estávamos caminhando no centro, tentaram nos dar um golpe: algumas pessoas ficam na rua distribuindo pétalas de flores e te falam para ir para o lago, que está acontecendo um festival e você deve jogar as flores no lago. Pegamos as flores e continuamos a caminhar. Quando chegamos perto de um acesso ao lago, nos chamaram e nosso radar anti-golpe que já estava ligado começou a disparar.

Perguntamos ao indiano se era apenas para jogarmos as flores no lago e ele disse que sim. Tiramos as calçados e continuamos em direção ao lago. Resolvi ser ainda mais direta e perguntamos se iriam nos cobrar alguma coisa e ele disse que sim, pediriam uma doação. Nessa hora, um dos homens já estava falando para o Rafael de que seríamos separados, para ele orar pela família dele e eu pela minha.

Já havíamos lido em outros blogs sobre a benção dadas pelos Brâmanes no lago Pushkar, em que realmente é pedida uma doação, mas tinha ficado na dúvida se procuraria fazer essa benção. Havia lido, também, sobre falsos Brâmanes que só querem extorquir os turistas e me bateu uma grande preguiça de ter que ficar tentando entender se estaria participando de uma cerimônia autêntica.

Pelo jeito que as coisas foram, desde o momento em que começaram a nos entregar as pétalas e falarem que estava tendo um festival, não tivemos mais dúvidas de que aquilo era um golpe. Então, viramos as costas, pegamos nossos chinelos e fomos embora.

A Fabi, do Ideias na Mala, participou de uma benção autêntica e adorou. O relato dela você pode ler aqui.

Onde comer em Pushkar

No primeiro dia, depois da festa do por do sol, aproveitamos que estávamos na porta do Sunset Café para tomar um sorvete. As comidas dali pareciam bem gostosas, mas ainda estávamos satisfeitos depois do veggy burguer que lanchamos no Pappi Chulo.

Depois de descer do templo e caminharmos um pouco pelo lago e pelo centrinho, bateu aquela fome e resolvemos parar para tomar um café. O Om Shiva Garden estava bem vazio, mas o ambiente parecia tão gostoso que paramos por la. Comemos um sanduiche vegetariano de pesto, uma panqueca de banana e Nutella e tomamos um suco. Tudo bem gostoso e com um preço razoável: pagamos 330 rúpias (17 reais)

 

Adoramos a cidade e gostaríamos de ter ficado mais um dia, para relaxar e curtir a vibe gostosa de lá! Mas o cronograma estava apertado e às 17 horas pegamos o ônibus para Jaipur, a cidade rosa.

 

*Ficamos hospedados no Hotel através de uma parceria com a Travel Sense India e o Hostel Pappi Chulo. Este review representa a nossa experiência e seu conteúdo é autentico e imparcial. 

Write A Comment