Atual capital do país, a Cidade da Guatemala serve como porta de entrada para muitos turistas. Predominantemente composta por prédios baixos, a arquitetura da cidade não bate muito com o conceito geral de grandes metrópoles. Mas não se deixe enganar: a Cidade da Guatemala é bem grande, com cerca de 4 milhões de habitantes.

Apesar de seu tamanho, a cidade não apresenta muitos pontos turísticos, então quem tem um tempo mais curto no país pode reservar apenas dois dias para conhecê-la.

A Guatemala tem a fama de um país barato, mas em sua capital não é bem assim, e os preços (tanto produtos no supermercado como comidas e bebidas nos comedores) podem pegar de surpresa um turista desavisado. A moeda local chama-se Quetzal e hoje 8 Quetzales equivalem a 1 Dólar.

Onde hospedar

A cidade é dividida em zonas e é importante observar a localização no momento de escolher sua hospedagem. A região mais nobre é conhecida como Zona Viva (zona 10) e conta com vários hotéis interessantes e centros comerciais. Porém, quem tem um orçamento mais restrito pode ter dificuldade em encontrar hospedagem nessa área; a  maioria dos hostels fica na zona 13.

Nós ficamos hospedados na zona 15, em um quarto que alugamos no Airbnb. A Mónica foi uma host incrível, nos deu várias dicas e até uma carona para o Lago Atitlán! O apartamento é muito bacana, todo decorado, cozinha equipada e o quarto é uma suíte bem confortável.

Cidade da Guatemala airbnb

Como locomover pela cidade

Locomover na cidade da Guatemala foi um pouco complicado. Estamos acostumados a olhar no Google Maps qual ônibus pegar para cada lugar, porém essa opção não está disponível na cidade. Também não existe metrô, mas algumas linhas de ônibus que seguem o estilo BRT,  que custam 1 Quetzal (equivalente a 0,13 centavos de Dólar) e você deve pagar com moeda. Para outras áreas da cidade, existem outras linhas de ônibus, mas pode ser difícil conseguir informações sobre onde pegar e onde descer. No horário de pico, os ônibus ficam muito cheios e é importante redobrar o cuidado para não ter nada furtado.

LEIA TAMBÉM:   Conhecendo Semuc Champey

Uma boa pedida pode ser táxi, porém os que rodam pela cidade (carros brancos) não tem taxímetro e muitas vezes cobram preços abusivos dos turistas. Então, caso precise pegar esse táxi, negocie bem o preço antes e confira direitinho o troco. Quando pegamos um táxi branco, combinamos o valor de 25 Quetzales e pagamos com uma nota de 50 Quetzales; o motorista nos devolveu apenas 15 e, quando pedimos a diferença, ele tentou argumentar que o preço combinado havia sido 35. Acabou nos entregando os 10 Quetzales faltantes, mas parecia contrariado.

Já os táxis amarelos possuem taxímetro e costumam aceitar cartão de crédito, mas esses não rodam pela cidade e você precisa ligar para pedir, o que pode ser complicado para quem não tem um telefone local.

O Uber já anunciou o início de suas atividades na Cidade da Guatemala, mas infelizmente não conseguimos localizar nenhum motorista. Em breve, essa poderá ser a melhor forma de um turista se locomover com mais tranquilidade pela cidade.

Cidade da Guatemala transporte

O que comer

A comida na Guatemala é muy rica! O abacate (simples ou como guacamole), faz parte de quase todos os pratos e chegamos a experimentar com nosso tradicional espaguete com sardinha. Não sei se é porque desde a Colômbia estamos comendo cada vez mais abacate, mas achamos que ficou ótimo!

Alguns dos pratos típicos são o jocón, hilachas, dobladas e chucos. O Mercado Central é um ótimo lugar para experimentar as comidas típicas. Na Zona 4, você pode achar vários restaurantes especializados em chucos e dobladas, mas não espere ambientes sofisticados: são lugares simples, mas que servem comidas deliciosas!

 Cidade da Guatemala comida - Choco

Planejando visitar a Cidade da Guatemala? Não perca o próximo post, que será um roteiro com lugares legais para se visitar!

Write A Comment