O Lago Atitlán é um dos destinos mais famosos – e, dizem por ai, ser também um dos mais belos – de toda a Guatemala. O Lago é rodeado de povoados que se misturam às montanhas e três vulcões, formando uma paisagem digna de filme.

As possibilidades de passeios são as mais variadas, incluindo caiaque, fazendas de café, tour pelos povoados e retiros espirituais. Como cada povoado tem um estilo próprio e bem diferente, é interessante pensar quais são seus interesses com a viagem ao Atitlán para decidir em qual – ou quais – se hospedar. É bem comum as pessoas mudarem de vilarejo, mas quem não tem muito tempo pode fazer passeios bate-volta, já que as viagens são rápidas e as vilas são pequenas.

PRINCIPAIS VILAREJOS

Panajachel: é a cidade mais desenvolvida no entorno do Lago Atitlán e, por isso, serve como principal ponto de entrada ou saída entre a região do Lago e o restante da Guatemala. Apesar de haver opções de hospedagem, a maioria das pessoas apenas passam por Panajachel. Sua população de aproximadamente 15 mil habitantes é predominantemente de maias Cakchiquel.

San Pedro la Laguna: é um dos pueblos mais procurados por mochileiros, por ser uma perfeita mistura entre a tranquilidade durante o dia e o agito durante a noite. A vila conta com uma população de aproximadamente 14 mil habitantes é predominantemente de maias Tz’utujil.

San Marcos la Laguna: outro dos povoados mais procurados por mochileiros, porém com uma pegada um pouco mais relax: em San Marcos, o que impera é a espiritualidade e não faltam centros de meditação, yoga e massagens. É significativamente menor que os outros pueblos mais conhecido, com apenas 3 mil habitantes, predominantemente de maias Tz’utujil e Cakchiquel.

Santiago Atitlán: conhecida como umbigo do mundo, Santiago é a cidade mais populosa da região e capital dos maias Tz’utujil. A maior parte da população preserva muito a vestimenta, língua e cultura, dando à cidade um ar genuíno. Além disso, a cidade é rodeada pelos vulcões San Peddro, atitlan e Toliman, formando uma linda paisagem. Ainda assim, a maioria dos turistas a visitam em um único dia.

LEIA TAMBÉM:   Playa del Carmen

COMO CHEGAR E SE LOCOMOVER

O principal ponto de partida para ir aos povoados do Lago Atitlán é a cidade de Antigua, que oferece algumas opções de transporte. As principais opções são os shuttles e os chiken buses.

Transporte Lago Atitlán

Shuttles são transporte privado oferecido por agências de turismos e hostels, normalmente feito por van. Ao contratar um shuttle, você poderá ser levado ao seu destino final no lago, ou então a alguma das outras vilas. Como há muitos lugares que oferecem esse serviço, vale a pena dar uma pesquisada nas avaliações e nos preços. A viagem dura aproximadamente quatro horas e os valores oscilam de 10 a 15 Dólares por pessoa.

Já os famosos chicken buses podem ser uma opção um pouco mais econômica para te levar ao Lago. Porém, será necessário fazer várias conexões e a viagem deve demorar aproximadamente seis horas até Panajachel. De lá, basta pegar uma lancha para chegar ao povoado desejado. Recomendamos optar pelas lanchas públicas, que saem com frequência e tem um preço bem mais acessível.

Essas lanchas também servirão como principal meio de transporte de uma vila a outra. Já dentro delas, é possível fazer quase tudo a pé, o que gostamos bastante, para conseguir observar direito como é a vida por ali. Porém, não faltam tuc tucs rodando por ai e oferendo serviço de táxi, o que pode ser também usado para ir de uma cidade a outra.

Caminhar de uma cidade a outra, exceto entre San Peddrro e San Juan, não é muito recomendado, por questões de segurança.

DINHEIRO

A maioria dos estabelecimentos no entorno do Lago não aceitam cartão de crédito ou débito (inclusive restaurantes e hotéis) e alguns povoados não tem banco ou caixa eletrônico: Panajachel e Santiago possuem bancos e ATMs em maior quantidade, já San Pedro tem apenas dois e em San Marco não existe nenhum.

Então é melhor chegar na região já preparado, com dinheiro em espécie o suficiente para cobrir todos os seus gastos. E, se tiver dinheiro trocado, terá mais facilidade de negociar preços.

LEIA TAMBÉM:   Central América 4

Caso deseje trocar Dólares Americanos, geralmente os bancos da Guatemala aceitam apenas notas de 50 ou 100 e que estejam em perfeito estado. Você precisará apresentar seu passaporte e o processo pode ser um pouco demorado.

TENHA EM MENTE QUE…

Em muitos dos povoados, a cultura maia é muito preservada, o que você vai facilmente notar pelo dialeto falado (em alguns lugares, você quase não escuta as pessoas conversando em Espanhol) e pelos trajes típicos coloridos. As pessoas são extremamente receptivas e amáveis. As crianças observam os turistas com curiosidade, sorrindo e acenando.

Artesanato na Guatemala (lago atitlán)

As pessoas envolvidas com turismo (agências de passeio, tuc tucs, lanchas, barraquinhas de artesanato…) sempre passarão um preço mais caro para seus produtos e serviços, então pode pechinchar mesmo! Para pegar um tuc tuc dentro de uma cidade, você não deve precisar pagar mais que 5 Quetzales (por pessoa), então negocie se tentarem cobrar mais do que isso. Na lancha de San Pedro para Santiago, conseguimos reduzir de 100 para 70 Quetzales para os tickets de ida e volta para nós dois (o que equivale a pouco menos de 9 Dólares).

Vale a pena sempre ter uma noção do que se quer fazer na cidade e da distância. Muitas vezes vão lhe oferecer tuc tucs falando que onde você quer ir é distante ou que precisa de guia para um determinado passeio, quando não é verdade. Infelizmente, esse tipo de golpe já está por todo o lado hoje, então use a internet a seu favor e pesquise antes.

Write A Comment